Produtos da Herdade

Azeite Galega

Fruto das oliveiras mais tradicionais e da variedade autóctone mais antiga e mais típica do Alentejo, este azeite revela toda a potencialidade da singular Galega. É um dos azeites mais apreciados, elogiado pela sua elegância e suavidade no paladar. De produção reduzida e com um sabor particular a nozes, o azeite dos olivais “Mouchão Velho” e “Dom João” é aveludado, com notas de doçura e muito requintado.

É um dos azeites mais apreciados, elogiado pela sua elegância e suavidade no paladar.

Muito resistentes à seca, as oliveiras Galega, muitas delas seculares, e num total de 31 hectares, produzem geralmente pouca quantidade de azeite o que resulta em azeite mais concentrado e pleno de sabor.

Azeite Courellas

O segredo da complexidade e sabor deste azeite está na sua origem, onde se cruzam as variedades de excelência Galega e Cobrançosa. As diferenças intrínsecas de cada uma complementam-se na perfeição. A primeira é suave e elegante, enquanto a segunda é apimentada e com um delicioso ligeiro travo amargo.

A primeira é suave e elegante, enquanto a segunda é apimentada e com um delicioso ligeiro travo amargo.

Tanto as azeitonas Galega como Cobrançosa são apanhadas à mão. Ambas são colhidas relativamente cedo por forma a garantir um excelente azeite, com uma acidez o mais baixa possível. Com cor citrina, aroma fresco, notas de maçã verde e amêndoa de casca, é um azeite maduro, picante e possui um ligeiro travo amargo. Geralmente leve, este azeite 100% extra virgem é ideal para saladas, para acompanhar pão regional e petiscos.

Mel

Embora as colmeias tenham existido no Mouchão por mais de um século, o mel apenas começou a ser comercializado pela primeira vez em 2011. Sendo o seu habitat natural a vasta propriedade, as abelhas produzem o seu mel selvagem a partir dos arbustos e árvores locais. Estes incluem a esteva, o sargaço, o rosmaninho, a giesta e o oleandro, o eucalipto, as laranjeiras e tangerineiras, que toleram o clima mediterrânico agreste do interior, bem como uma abundância de flores selvagens na primavera tais como papoilas, camomilas, trevos, lavanda, íris, cardos.

O mel do Mouchão é cheio de personalidade e expressa a vida silvestre das condições em que as abelhas trabalham.

A intervenção humana é limitada quase que exclusivamente à colheita (cresta). O mel do Mouchão é cheio de personalidade e expressa a vida silvestre das condições em que as abelhas trabalham. Devido à sua pureza tende a ficar mais espesso com o passar do tempo, e pode variar tanto na consistência como na sua tonalidade mais escura de dourado.

Cortiça

A cortiça é uma cultura.

Tendo ido para o Porto com o propósito inicial de negociar vinhos generosos no início do século XIX, Thomas Reynolds acabou por ser atraído mais tarde pelo negócio da cortiça. Terá sido o montado alentejano a norte da região a convencer o inglês a trocar o Porto pelo Alentejo. De um total de 980 hectares da propriedade o montado representa cerca de 70% da àrea.
Esta àrvore é muito importante na produção de rolhas e na proteção ecológica da herdade, regulando o ciclo hidrológico, contribuindo para a biodiversidade e a conservação dos solos e, de forma geral, para a sustentabilidade. São assim vitais no equilíbrio ambiental e climático locais, harmonizando a vida selvagem com as áreas de cultivo e criação de gado.
O sobreiro desempenha um papel tão relevante que foi consagrado no final de 2011, por unanimidade da Assembleia da República, a Árvore Nacional de Portugal e está protegido por lei desde o século XIII.

Ovinos

As nossas ovelhas.

No montado de sobreiros na Herdade não faltam pasto nem bolotas para as cerca de mil ovelhas que compõem o rebanho, assim como abundante água, em pequenas represas distribuídas um pouco por toda a propriedade.
Durante a maior parte do ano as ovelhas pastoreiam nas vinhas e nos olivais e, no pico do verão, com temperaturas bastante altas, o rebanho alimenta-se sobretudo de noite no redil, com alimento cultivado e posteriormente armazenado na propriedade. A dieta varia entre a erva do Sudão (Sorghum sudanense) e o feno, numa mistura de sementes oriundas dos vales férteis da herdade.
Criadas em regime livre, extensivo, as ovelhas do Mouchão estão certificadas como produção biológica e a reprodução é controlada, assegurando-se os ritmos naturais de procriação. Os períodos de parição podem ocorrer em diferentes alturas do ano, embora a maior parte dos cordeiros nasça a meio ou no final do outono.
Da raça Merino Branco do Alentejo, estas ovelhas são conhecidas pela sua grande capacidade de adaptação a climas mais quentes, tendo ganho fama pela qualidade da lã e da carne, fundamental na gastronomia alentejana.
O olival de Cobrançosa encontra-se numa das pontas da Herdade do Mouchão conhecido pelo nome “Courellas”, nome dado a este lote mais fresco e apimentado.
O rebanho de ovelhas do Mouchão ainda hoje pastoreiam com a velha marca do fundador da herdade – RHR (Robert Hunter Reynolds).
Top