Colheitas Históricas

1949 Mouchão

Com toda a probabilidade, esta colheita foi o primeiro Mouchão a ser engarrafado por Albert ‘Bouncer’ Reynolds entre 1954 e 1958. A última vez
que foi provado, em meados da década de 1980 (não foram encontradas mais garrafas disponíveis depois disso), a côr estava ainda muito presente revelando-se cheio na boca, com as características notas de couro, especiaria e menta. Uma antecipação de uma ainda excelente evolução futura.
Rancho da vindima

1954 Mouchão

Talvez o mais emblemático de todos os vinhos Mouchão engarrafados tendo várias barricas sido foram encomendados por relevantes figuras da indústria do vinho no Porto e em Londres. A colheita 1954 foi vendida em barricas, garrafões e garrafas entre 1959 e 1963. Provado pela última vez em 2017, o 1954 evidenciava a evolução típica da côr para vinhos com idade, mas manteve-se fresco com notas tipicamente mentoladas. Crê-se que o lote da colheita 1954 é constituído por cerca de pelo menos 75% de Alicante Bouschet, muito do qual proveniente da vinha original do Vale do Cortiço.
Transportando uvas

1963 Mouchão

Considerado como um icónico ano de Mouchão, vendido principalmente nas décadas de 1970 e 1980, a colheita 1963 foi portentosa e tipicamente Mouchão; moderadamente alcoólico, suave, com notas de frutos vermelhos bem maduros, julgando-se ser o resultado de uma maturação mais prolongada que o normal do Alicante Bouschet, e profundamente complexo aquando da última prova no início da década de 1990.
A descarregar as uvas na adega

1969 Mouchão

Após a revolução de 1974 e durante a década de 1980, a colheita 1969 tornou-se um ano de referência para o Mouchão. Um inverno e uma primavera chuvosos contribuíram positivamente para o equilíbrio da videira e a qualidade da fruta. Robusto mas fresco, especiado com aromas de folhas de tabaco secas. Um Mouchão raro e clássico.
Lavagem de tonéis

1979 Mouchão

A boa precipitação no inverno é muitas vezes sinónimo de um grande Mouchão. Em prova apresenta ainda grande profundidade de cor, notas compotadas jovens, couro maduro e a frescura da menta e eucalipto, tão associadas a tantos dos grandes Mouchão. Excelente estrutura, a evidenciar ainda um final rico e complexo.
Uvas vindimadas à mão acabadas de chegar da vinha

1985 Mouchão

Como acontece frequentemente na Herdade do Mouchão, um inverno húmido é seguido por uma colheita extraordinária. Sem dúvida, um grande Mouchão. Em excelente forma, perfeito, durante toda a década de 2010. Estruturado, complexo e com a acidez certa para prolongar o equilíbrio deste rico Alicante Bouschet.
Mouchão intemporal

1990 Mouchão

Ano do primeiro vinho do renascimento do Mouchão pós-revolução e associado à nova Vinha dos Carapetos. Parcialmente produzido com Alicante Bouschet desta nova vinha com dois anos, o Mouchão 1990 é hoje considerado como um dos melhores Mouchão de sempre pela imprensa especializada. Frescura, complexidade e volume são características típicas deste vinho e em todos os que evoluem bem com o tempo. Ainda hoje é um grande vinho.
Retirando amostra para prova

1997 Mouchão

Se na década de 90 procurarmos um vinho de equilíbrios, certamente será este a referência. Com uma cor marcante, onde o rubi ainda predomina sobre os tons acastanhados, possui um aroma profundo e complexo, com intensas notas de menta, fruta confitada, tabaco e especiarias ricas e frescas. Na boca, o seu equilíbrio é bem evidente e alguma evolução que possa denotar apenas realça a riqueza da sua personalidade. Talvez por isso Steven Spurrier o tenha considerado o melhor vinho do Velho Mundo em 1997 na Decanter.
Engarrafamento

1998 Mouchão

Este ano ficou marcado com as geadas. Contudo os danos causados em Abril foram relativamente limitados, dando origam a uma pequena colheita de incrível concentração e frescura. Evidenciando uma extraordinária riqueza e notas de couro polido, tabaco e hortelã no palato. É um vinho que está para se apresentar em grande nível por mais uma década.
O ritual da prova dos vinhos em estágio

2005 Mouchão

Marcado por um ano quente, mas que de forma inesperada permitiu uma equilibrada maturação do Alicante Bouschet. Este Mouchão conjuga a robustez dos Mouchões mais antigos com a maior elegância dos recentes. Aroma cheio e poderoso, com notas de menta, tabaco e chocolate, na boca é estruturado, fresco, complexo e com uma enorme persistência.
Controlando os trabalhos em curso

2007 Mouchão

Cor rubi com tons ligeiros acastanhados, fruta negra em compota, tabaco e café verde. No conjunto o vinho é elegante e fresco, cheio, com boa concentração de taninos e uma longuíssima e agradável persistência.
Os indispensáveis trabalhos de limpeza e higiene

2008 Mouchão

Este ano foi caracterizado por ter resultado numa colheita pequena. Contudo, no aspecto qualitativo, o Mouchão do ano mostrou-se muito bom, poderoso, com um Alicante Bouschet de taninos firmes e a típica frescura mentolada de eucalipto. Um grande vinho, menos elegante enquanto jovem, mas com enorme potencial de envelhecimento.
As características papoilas colorindo as vinhas

2011 Mouchão

Considerado consensualmente como um grande ano vinícola em Portugal, um dos melhores de sempre. O Mouchão não foi excepção e esta colheita revela a personalidade clássica deste vinho. Côr rubi, muito concentrado e suave, elegante e fresco, cheio mas discreto como com todos os grandes Mouchão de referência. Fruta preta, cacau, eucalipto, hortelã, café verde e pimenta doce, enorme, longo final. Um vinho em excelente momento agora mas, com toda a certeza, em crescendo nas próximas duas décadas.
Os omnipresentes lagares e tonéis
Top